Doenças Respiratórias

Bronquite crônica: entenda as causas, sintomas e tratamento da doença

bronquite crônica

Há 3 tipos de bronquite, identificadas como bronquite asmática, crônica ou alérgica. A bronquite crônica é uma inflamação dos brônquios, que são tubos responsáveis por levar o oxigênio aos pulmões. Sua principal característica é uma tosse que persiste por mais 3 meses, mesmo sendo tratada adequadamente.

Esse é o tipo de mais comum que acomete fumantes e aumenta o risco para algumas doenças, como o enfisema pulmonar. Há também a bronquite aguda, que é um processo inflamatório de curta duração, normalmente associado a uma infecção viral ou bacteriana.

Neste artigo, vamos apresentar algumas das principais características da bronquite crônica, comentando sobre suas causas, sintomas, diagnóstico e tratamentos. Continue a leitura para saber mais!

Os tipos de bronquite

As principais diferenças entre a bronquite, aguda, crônica, asmática e alérgica estão em suas causas e sintomas. A forma aguda da doença costuma se manifestar, principalmente, em crianças e idosos, por serem mais suscetíveis às bactérias e vírus.

Em alguns casos, ela também pode surgir como consequência de uma gripe. Seus principais sintomas incluem dificuldade para respirar, chiado no peito e tosse. Esse tipo de bronquite costuma apresentar melhoras entre 7 e 10 dias, embora a tosse possa durar algumas semanas.

Bronquite crônica

A bronquite crônica acomete pessoas a partir dos 45 anos e pode persistir por três meses a dois anos, tendo como principal causa a exposição prolongada à poluição, agentes tóxicos e alérgenos, como a fumaça do cigarro. Nesse sentido, ela é diretamente associada ao tabagismo, por isso, as pessoas que fumam apresentam maior probabilidade de desenvolvê-la.

O mau funcionamento dos brônquios provoca insuficiência respiratória porque dificulta a chegada do ar onde ocorrem trocas gasosas. Dessa forma, como o enfisema, a bronquite crônica é classificada como uma das Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas (DPOC). Quando não tratada, predispõe o paciente a outras infecções respiratórias, como a pneumonia, que é uma das consequências da bronquite.

O grau de intensidade de insuficiência dessas alterações é o que determina o caráter crônico da doença, causando uma importante perda da qualidade de vida. Por esse motivo, as pessoas acometidas pela forma crônica devem ser vacinadas contra a gripe e a pneumonia.

Enfisema pulmonar

O enfisema pulmonar é uma doença que agride os alvéolos do pulmão, inchando os sacos de ar. Com isso há uma obstrução e destruição dos tecidos, que limita a capacidade respiratória. Além do tabagismo, essa doença pode ser provocada por exposição a agentes químicos, poluentes e fatores genéticos.

Bronquite asmática

A bronquite asmática (nome popular da asma) é uma doença crônica, que se caracteriza pela inflamação dos brônquios. Há também uma produção de muco espesso que provoca espasmos musculares e dificulta muito a passagem do ar. Ela surge quando a pessoa tem contato com partículas ou substâncias irritantes, como poeira, agentes químicos e baixas temperaturas.

Bronquite alérgica

A bronquite alérgica tem relação direta com alergias respiratórias. Embora ela tenha cura, a utilização de vacinas pode ajudar muito no controle dessas reações. Em geral, essa doença é diagnosticada na infância, mas pode afetar pessoas em qualquer idade, inclusive durante a gravidez.

Os principais sintomas da bronquite crônica

O sintoma característico da bronquite é a tosse, que, na forma aguda da doença, pode ser seca ou com expectoração. Já as pessoas com bronquite crônica sempre apresentam expectoração, com aspecto claro, que após algum tempo fica amarelado. Outros sintomas se referem a:

  • cansaço;
  • chiado no peito (sibilos);
  • desconforto no peito;
  • falta de ar;
  • febre, quando há infecção associada;
  • inchaço nos tornozelos, pés e pernas, devido a um maior esforço cardíaco;
  • infecções respiratórias frequentes, como gripes ou resfriados;
  • lábios arroxeados devido ao baixo nível de oxigênio;
  • tosse com expectoração de muco.

O diagnóstico da bronquite crônica

O diagnóstico é realizado por um pneumologista, que considera os sintomas, assim como o histórico do paciente e o exame clínico feito com um estetoscópio para avaliar o funcionamento dos pulmões durante a respiração. Mas nos primeiros dias da doença, pode ser difícil distinguir uma bronquite de um resfriado comum.

Outros exames podem ser solicitados, como raio-X de tórax, espirometria e broncoscopia, para avaliar as vias aéreas e identificar alterações. Em alguns casos, a prova de função pulmonar é realizada para ajudar na identificação da doença e checar sinais de asma ou enfisema.

As formas de tratamento da doença

A primeira e mais importante medida para o tratamento da bronquite crônica é parar de fumar. A doença requer um tratamento longo, com afastamento dos fatores irritantes, como fumaça do cigarro, poluição e outros alérgenos. Os medicamentos normalmente indicados pelo médico são mucolíticos, broncodilatadores, antibióticos e anti-inflamatórios.

Também são indicadas sessões de fisioterapia respiratória, com exercícios que ajudam a respirar melhor e aumentam a capacidade pulmonar. Nos casos de agravamento, como as doenças obstrutivas (DPOC), que podem surgir como consequência da bronquite crônica, pode ser necessária a oxigenoterapia, que utiliza um tubo de oxigênio para ajudar a respirar.

A prevenção das crises de bronquite

Alguns cuidados essenciais podem ajudar na prevenção da bronquite crônica. Além de manter uma alimentação saudável e equilibrada, e tomar bastante líquido, é importante:

  • evitar o contato com poeira, fumaça, gases, ácaros e outros alérgenos;
  • fazer inalação periodicamente;
  • lavar as mãos com frequência;
  • não fumar;
  • evitar ambientes úmidos;
  • tomar vacina contra a gripe para fortalecer o sistema imunológico;
  • utilizar soro fisiológico para manter as vias aéreas hidratadas.

A importância da nebulização

A nebulização é um dos métodos para respirar melhor, que utiliza um aparelho conhecido como nebulizador para levar a solução medicamentosa ao trato respiratório. Os medicamentos podem incluir corticoides e broncodilatadores.

O objetivo desse sistema, que também é muito útil para a prevenção da bronquite, é auxiliar na desobstrução das vias respiratórias, proporcionando uma sensação de alívio ao promover uma respiração mais livre. Nesse sentido, é importante saber como funciona um nebulizador, para tirar o máximo de proveito de seus benefícios.

Conforme comentamos, a bronquite crônica tem como principal causa o tabagismo, sendo fundamental parar de fumar e buscar ajuda médica para evitar agravamentos da doença, como a obstrução das vias respiratórias, que pode provocar o enfisema. Além disso, é importante fazer sessões de fisioterapia respiratória como tratamento complementar.

Gostou deste artigo? Para saber mais sobre equipamentos que podem auxiliar no tratamento da bronquite crônica, entre em contato conosco!

Share

Sugestões de artigos

ECG portátil, MRPA e MAPA: conheça tecnologias que salvam vidas

Descubra como a tecnologia ECG portátil e os exames MRPA e MAPA estão transformando o cuidado da saúde cardiovascular!

Tudo o que você precisa saber sobre a relação entre rinite alérgica e sinusite

Você sabe a diferença existente entre rinite alérgica e sinusite? ... Tudo o que você precisa saber sobre a relação entre rinite alérgica e sinusite

Inalação e aspiração nasal: o que saber sobre o assunto

Inalação e aspiração nasal: confira, neste guia, tudo o que você precisa saber sobre esses procedimentos!

Qual o tratamento para Mycoplasma Pneumoniae?

Você notou que agora os canais de comunicação estão falando ... Qual o tratamento para Mycoplasma Pneumoniae?