Doenças Respiratórias

Asma em crianças: 3 coisas que você precisa saber

Asma em crianças

Dificuldades para respirar, tosse, chiado no peito, respiração encurtada, entre outros sintomas, podem ser indicativos de asma em crianças. Embora esses problemas sejam comuns a outras doenças respiratórias, no caso da asma eles são desencadeados por fatores como alergias ou mudanças bruscas de temperatura.

Normalmente, a doença também apresenta um fator genético — ou seja, se os pais ou outros irmãos são portadores de asma, a chance de a criança desenvolvê-la é grande. Por isso, é importante ter atenção aos sinais e consultar o pediatra ou pneumologista, que poderá orientar sobre os procedimentos para controle e prevenção de crises.

Continue a leitura de nosso post para entender melhor a doença e saber como identificar os sinais de asma em crianças!

O que é asma?

A asma é uma doença crônica, que causa a inflamação das vias aéreas, fazendo com que elas sofram um estreitamento que causa dificuldades respiratórias. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, estima-se que 20 milhões de brasileiros sejam portadores.

Apesar de ser possível que a doença apareça em qualquer idade, seu surgimento é mais comum na infância, sendo que 30% a 80% dos portadores desenvolvem a asma até os 3 anos. Entre eles, de 50% a 65% manifestam os sintomas no primeiro ano de vida.

A doença não tem cura, embora os sintomas possam ser mantidos sob controle com a ajuda de medicamentos prescritos pelo médico e com o afastamento de possíveis agentes causadores das crises.

Com o tratamento correto, a pessoa asmática consegue ter a mesma qualidade de vida de qualquer outro indivíduo. A maioria das crianças portadoras da doença tem uma vida normal na maior parte do tempo, com exceção dos períodos de crise.

É possível conviver com a asma de forma segura?

Para garantir a qualidade de vida da criança asmática, confira alguns detalhes fundamentais para a identificação de crises e controle dos sintomas.

1. Entenda os sintomas

Vários sintomas da asma são semelhantes aos de outras doenças respiratórias, como bronquite, sinusite ou rinite. Por isso, é importante que seja feito o diagnóstico adequado, para que a família possa afastar os agentes que desencadeiam as crises, o que contribui para manter a qualidade de vida da criança.

Os sintomas mais comuns da asma são:

  • dificuldades para respirar;
  • tosse persistente;
  • chiado no peito e sibilos (ruído agudo durante a expiração);
  • respiração curta;
  • sensação de fadiga;
  • dor no peito.

2. Fique de olho no agravamento de uma crise asmática

Durante uma crise, alguns sinais podem indicar uma emergência, que necessita de atendimento médico:

  • lábios com coloração arroxeada;
  • extrema dificuldade de respirar;
  • confusão mental ou sonolência;
  • pulsação rápida;
  • sudorese.

3. Saiba o que desencadeia a crise de asma em crianças

Como explicamos, a asma é uma doença crônica e sem cura, que pode ser controlada com algumas estratégias para afastar os chamados gatilhos, ou seja, agentes que desencadeiam as crises. Conheça, a seguir, os principais, e descubra como afastá-los.

Ácaros

Encontrados normalmente em colchões, travesseiros, cortinas, tapetes, carpetes e até nos bichinhos de pelúcia que costumam estar presentes nos quartos infantis, esses micro-organismos se alimentam de descamação da pele, de pelos de animais domésticos e de mofo.

Assim, a melhor maneira de controlar a sua proliferação é investir na troca frequente de roupa de cama, bem como na limpeza de carpetes, tapetes e cortinas. Se possível, evite o uso dessas peças no quarto da criança asmática. Além disso, a casa deve ser arejada, para evitar mofo, e os brinquedos armazenados em local fechado, para não acumularem poeira.

Fungos

Esse tipo de micro-organismo se desenvolve, especialmente, em ambientes quentes e úmidos. Sistemas de ar-condicionado e sanitários são locais típicos para o surgimento de fungos. Assim, é fundamental investir na boa ventilação, limpeza dos equipamentos e de filtros de ar e nunca deixar toalhas molhadas penduradas do banheiro.

Pólen

Flores, grama e árvores costumam piorar a asma em função da liberação de pólen, que acontece com mais intensidade na primavera.

Fumaça de cigarro

Um paciente asmático, seja criança ou não, nunca deve ficar exposto à fumaça de cigarro. A substância agrava os sintomas da asma e pode aumentar a inflamação nos brônquios.

Se alguém da família fuma, é importante adotar estratégias para que a criança não se exponha ao cigarro, como trocar de roupa após fumar e nunca fazer isso dentro de casa. A alternativa ideal é buscar um tratamento para combater o tabagismo.

Poluição

A poluição ambiental também é um dos agentes desencadeadores de asma. Evite sempre que possível a exposição.

Infecções virais

Uma gripe ou um simples resfriado podem levar a uma crise de asma. Assim, pacientes asmáticos devem ter cuidados extras, como vacinação em dia e limpeza frequente das vias aéreas.

Mudança brusca de temperatura

O ar frio e seco irrita os brônquios e pode ser um gatilho para desencadear uma crise de asma.

Como controlar a asma em crianças?

É fundamental compreender que a asma não deve ser tratada somente nas situações de crise. O tratamento precisa ser contínuo, mesmo que a criança não apresente sintomas.

Normalmente, a terapia consiste no uso de medicamentos inalatórios prescritos pelo médico e medidas de higiene para afastar os agentes causadores de crises. Vale destacar que a limpeza da casa deve ser feita com pano úmido, evitando que a poeira entre em suspensão e seja inalada. Produtos de limpeza com cheiro forte precisam ser evitados.

No quarto da criança, as roupas de cama devem ser substituídas com frequência e os tapetes devem ser retirados. Se não for possível evitar bichinhos de pelúcia, lave-os periodicamente e exponha ao sol. Caso tenha animais em casa, não se preocupe: a convivência com a pessoa asmática é possível, desde que sejam adotadas medidas adequadas de higiene.

Outro cuidado importante é manter as vias respiratórias da criança sempre limpas, evitando o acúmulo de secreções. A limpeza pode ser feita por meio da instilação de soro fisiológico, que também contribui para umidificar as vias aéreas — afinal, o ressecamento das mucosas agrava os sintomas.

Um nebulizador contribui significativamente para evitar as crises, seja facilitando a administração dos medicamentos, seja para umidificar as vias respiratórias e facilitar a respiração. No entanto, no caso de uso de remédios, é fundamental seguir as orientações médicas relativas à dose e uso do aparelho.

Com os cuidados adequados, os sintomas da asma em crianças são totalmente controláveis. Assim, além de adotar as medidas preventivas adequadas, invista em um bom nebulizador e garanta mais qualidade de vida ao seu filho.

Quer manter as crises de asma longe de sua família? Continue a visita em nossa página para saber mais sobre inaladores e nebulizadores e conhecer toda a linha de produtos!

Share

Sugestões de artigos

ECG portátil, MRPA e MAPA: conheça tecnologias que salvam vidas

Descubra como a tecnologia ECG portátil e os exames MRPA e MAPA estão transformando o cuidado da saúde cardiovascular!

Tudo o que você precisa saber sobre a relação entre rinite alérgica e sinusite

Você sabe a diferença existente entre rinite alérgica e sinusite? ... Tudo o que você precisa saber sobre a relação entre rinite alérgica e sinusite

Inalação e aspiração nasal: o que saber sobre o assunto

Inalação e aspiração nasal: confira, neste guia, tudo o que você precisa saber sobre esses procedimentos!

Qual o tratamento para Mycoplasma Pneumoniae?

Você notou que agora os canais de comunicação estão falando ... Qual o tratamento para Mycoplasma Pneumoniae?